DICAS NA ESCOLHA DO TERRENO PARA CONSTRUÇÃO

Existe um consenso de que a melhor localização é aquela em que a frente do imóvel está voltada para o norte, ou seja, com o nascente à esquerda e o poente à direita. No entanto, esse entendimento é questionável. O fato é que qualquer terreno tem faces voltadas para os quatro pontos cardeais e que o aproveitamento dessa situação depende, hoje, muito mais das escolhas do projeto arquitetônico do que de qualquer outro.

Neste texto, vamos explicar como avaliar o posicionamento do seu lote e as consequências que isso traz para a construção. Também vamos explicar alguns requisitos para garantir que o projeto desenvolvido para o lote atinja um alto padrão de qualidade

Vamos começar explicando as discussões que envolvem o posicionamento de um lote e os fatores que o influenciam.

A vantagem do norte

A frente voltada para o norte sempre foi a preferida pelos arquitetos, no hemisfério sul, devido à incidência dos raios solares. Então, a ideia era garantir que o imóvel não recebesse luz de menos, o que pode gerar uma facilidade para o desenvolvimento de fungos e mofo, por exemplo.

No inverno, as faces voltadas para o norte recebem luz praticamente o dia todo. No verão, a sombra é abundante.

Imóveis voltados para o sul, ao contrário, recebem menos sol durante o ano todo. Já os de frente para o leste recebem o sol da manhã e os que apontam para oeste recebem o sol da tarde.

De forma geral, ambientes voltados para o oeste costumam ser mais quentes do que os que estão para o leste, mesmo recebendo a mesma quantidade de horas de sol. Isso ocorre porque eles recebem calor em um momento, no meio do dia, em que o frescor noturno proveniente da noite anterior já foi vencido.

Pontos cardenais e seus comodos

Agora que esclarecemos a relação das faces dos terrenos com os quatro principais pontos cardeais, fica mais fácil de entender como o desenvolvimento do projeto pode aproveitar as características do lote, independentemente do lado para o qual a sua frente esteja virada. O segredo é organizar os cômodos de acordo com a demanda que cada um tem de sol, fazendo com que a característica da incidência de luz no lote seja otimizada.

Compartimentos como banheiros, cozinhas, despensas e dormitórios, que demandam menos luminosidade, podem ficar virados para qualquer um dos pontos cardeais, exceto o sul. Já adegas podem e devem estar localizadas nessa direção — e de maneira nenhuma na direção leste ou oeste. Garagens e salas de TV ou jogos também ficam bem quando construídas no lado sul do lote.

As piscinas devem, claro, estar em uma posição em que recebam o máximo de luz solar, isto é, voltadas para o norte. Outro que exige cuidado é o jardim de inverno, que nunca deve apontar para sul, sudeste ou sudoeste. O ideal é que essa área receba o calor e a luminosidade que vêm do norte.

Aqui no Nordeste, as vezes o problema pode ser mais evitar o sol do que buscá-lo.

Topografia e posicionamento do lote

Um terreno pode ser plano, em aclive (sobe quando se cai em direção ao fundo) ou em declive (o nível da rua é mais alto que o fundo). Quando há inclinações, o projeto precisa ser criativo para aproveitar da melhor forma possível o traçado natural do terreno e evitar que haja a necessidade de fazer grandes cortes ou aterramentos, pois movimentar volumes consideráveis de terra e construir estruturas de contenção encarece bastante o valor final da obra.

O lado bom é que os terrenos íngremes costumam ter preços menores. Com uma boa negociação e um projeto inteligente, o comprador pode acabar economizando um bom dinheiro e fazendo um excelente negócio.

Um ponto de atenção importante é que, em muitos casos, as soluções podem significar degraus e rampas. Então, se a casa totalmente plana é um ponto indispensável para você, só compre o terreno se já tiver clareza das soluções que podem ser empregadas nele e quanto elas podem custar.

Atenção aos recuos

Esse não é um ponto que está diretamente ligado às características objetivas do lote, mas é importante levar em conta que, mesmo em terrenos muito estreitos, há, pela legislação de uso e ocupação de solo de cada município, a obrigatoriedade legal de deixar um recuo lateral, o que representa uma largura aproveitável ainda menor.

De uma forma geral, a largura da frente impacta em 30% do valor do lote: quanto maior a frente, maior a valorização. Terrenos de esquina também são desejados pelos compradores e alcançam maiores preços — isso se deve à maior versatilidade de projetos e as condições de iluminação e ventilação, que são melhores do que as do meio do quarteirão.

A execução de um projeto de qualidade

Diante de tantas variáveis e preocupações na hora de escolher o terreno, é natural que a maioria das pessoas fique ansiosa por partir para o projeto e encontrar nele as respostas para os problemas observados, além de começar a visualizar o seu lar dos sonhos.

No entanto, para dar certo, um bom projeto precisa passar por algumas fases sem atropelo. Por exemplo, antes de começar qualquer obra, é necessário prestar muita atenção na elaboração das plantas arquitetônicas. Nelas, há detalhes que devem ser levados em consideração, para trazer economia e garantir o conforto de sua residência.

Nessa fase, você e seu arquiteto poderão tomar decisões que vão evitar problemas futuros e fazer escolhas que vão tornar sua casa um lugar muito mais agradável.

Posicionamento dos cômodos

É nessa hora que as dicas que demos lá em cima poderão ser colocadas em prática. Levando em conta as características da incidência solar no seu lote, vocês vão decidir o posicionamento de cada cômodo de modo a aproveitar bem a luminosidade natural, evitar o desconforto causado pela quentura e aproveitar a ventilação.

Uma das técnicas que podem ser usadas para garantir uma casa mais fresca é a ventilação cruzada, que consiste em colocar vãos como portas e janelas em paredes opostas ou adjacentes e no mesmo sentido da orientação dos ventos locais.

Banheiros bem localizados

Colocar os banheiros em áreas comuns é um erro de iniciante que muita gente ainda comete. Por isso, não é raro ver pessoas cruzando a sala de estar ou outro compartimento acessados por visitas enrolados em toalhas.

Quando se faz o planejamento, deve-se cuidar para que a porta do banheiro não fique de frente para as salas ou para a cozinha. A localização adequada é nas proximidades dos quartos

Áreas molhadas juntas

As instalações hidráulicas costumam ser uma dor de cabeça para quem está em obra e, pior, são caras: correspondem de 7% a 11% do valor total. Para diminuir esse desembolso, uma boa solução é colocar as chamadas áreas molhadas (banheiros, cozinhas e áreas de serviço) próximas umas das outras. Se possível, elas devem ser adjacentes e compartilhar a mesma parede hidráulica para uma economia ainda maior.

A caixa d’água também deve ficar perto das áreas molhadas. Isso garante que a pressão da água nas torneiras seja maior e que se gaste menos com tubulações.

Disposição dos móveis

A maior parte das pessoas não pensa muito nos móveis na hora do planejamento, mas deveria. As escolhas feitas em termos de mobília podem ser adequadas, ou não, ao cômodo que se projetou, por isso, faz muito sentido pensar nos dois juntos.

O ideal é que, antes que se escolham os móveis, seja feito um esboço do cômodo e da disposição que se pretende adotar. Deve-se pensar em espaço suficiente para a circulação e que se evite amontoar objetos em um cômodo. Móveis planejados são uma excelente opção para garantir que o espaço seja bem aproveitado.

http://www.cimientosconstrutora.com.br

@cimientos_construtora

#execuçãodeprojeto #arquitetura #engenheria #construtoraemnatal

.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s